RCB/TuneIn
Quarta, 21 Out 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
CERFUNDÃO BATE NOVO RECORDE
Apesar da quebra generalizada de produção de cereja, este ano a Cerfundão bateu um novo recorde ao receber 370 toneladas de cereja, mais 60 que no ano passado.
Por Paula Brito em 31 de Jul de 2012

Na Cerfundão a campanha terminou no passado dia 22 de Julho com um saldo muito positivo “foi bastante positivo uma vez que este ano houve uma quebra significativa devido às condições climáticas na altura da floração” explica Filipe Costa. Para o coordenador técnico da Cerfundão este aumento “demonstra que a pouco e pouco vamos conseguindo ganhar a confiança dos produtores”.  

Aquele responsável alerta no entanto para a realidade que está a surgir no sector ao nível da produção “os produtores têm cada vez mais maior dimensão e os pequenos produtores estão a desaparecer por não conseguirem ser competitivos devido às circunstâncias de comercialização e às exigências do mercado”.  

Dos cerca de 250 sócios da empresa apenas uma centena colocam cereja na Cerfundão e destes, nove são responsáveis por metade da cereja que deu entrada nesta campanha na empresa. São também estes nove, para já, os únicos sócios com a certificação necessária para a exportação que este ano registou também um novo recorde. 20% da produção foi para o exterior, sobretudo para a Europa Central “Holanda, Alemanha, Finlândia, Espanha muito pouco, e fizémos alguns ensaios para o Brasil que correram muito bem”.   

Na Cooperativa de Fruticultores da Cova da Beira a quebra de 30% na produção sentiu-se na entrega de cereja que este ano se ficou pelas 180 toneladas recebidas durante uma campanha curta, concentrada e pouco lucrativa “em média a campanha dura três meses este ano durou dois, começou tarde e foi muito concentrada o que não contribuiu para a valorização do produto”. Explica Carlos Madaleno, presidente da direcção da Cooperativa de Fruticultores da Cova da Beira.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados