RCB/TuneIn
Quinta, 25 Fev 2021
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
SEP TEME PELO FUTURO DA MATERNIDADE DE CASTELO BRANCO
Sindicato dos Enfermeiros Portugueses acusa o conselho de administração da unidade local de saúde de Castelo Branco de querer encerrar a maternidade do hospital Amato Lusitano. Em causa a suspensão da “Incubadora de Pais”, no inicio deste ano, que funcionava desde 2006 naquela unidade de saúde.
Por Nuno Miguel em 27 de Jul de 2012

Para Guadalupe Simões "ao suspender este projecto, o conselho de administração da ULS está a abdicar duma valência muito importante e que pode conduzir ao encerramento da maternidade uma vez que com menos serviços e com uma diminuição do número de partos essa situação pode verificar-se".

Para a presidente do SEP "trata-se duma opção profundamente errada" uma vez que a “Incubadora de Pais” "contribuiu para o aumento do número de mulheres que escolheram o hospital de Castelo Branco para terem os seus filhos e também diminuiu a afluência aos serviços de urgência antes e depois dos partos".

Guadalupe Simões considera ainda que o conselho de administração não pode alegar motivos económicos para suspender o funcionamento deste projecto "funcionava com o apoio de sete enfermeiras especialistas que desenvolviam o projecto fora do horário normal de trabalho e que nunca exigiram qualquer pagamento suplementar ao valor que lhes pago por trabalharem horas extra".


  Redes Sociais   Facebook

2007—2021 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados