RCB/TuneIn
Terça, 21 Mai 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
SP. COVILHÃ EMPATA COM GIL VICENTE
No último teste da nova época, o Sporting da Covilhã recebeu no Estádio José Santos Pinto o primodivisionário Gil Vicente e, em face da produção da equipa serrana, o empate a um golo que se registou no final da partida é significativamente penalizador para a equipa comandada por Filipe Moreira.
Por José Joaquim Ribeiro em 21 de Jul de 2012

A equipa serrana voltou a apresentar-se com três centrais,  tal como já tinha feito com a Académica a semana passada e que leva a perceber que essa vai ser a estratégia do treinador para a temporada que começa, a sério, no próximo sábado. Os processos parecem consolidados e pela amostra nos jogos particulares são mesmo para aprimorar.

Neste jogo a equipa serrana não entrou bem na partida, teve pelo menos 15 minutos em que sentiu muitas dificuldades em acertar com as marcações ao adversário. Foi um período em que o Gil Vicente mostrou algum potencial, conseguindo, inclusive, adiantar-se no marcador, num lance que a defensiva serrana foi apanhada em contrapé e também muito desatenta. O golo da equipa de Barcelos aconteceu aos 7 minutos, numa jogada conduzida pela esquerda, o cruzamento foi feito com boa precisão e Leonardo finalizou com sucesso.

Ultrapassado o primeiro quarto de hora a equipa de Filipe Moreira começou a acertar com as marcações, passou a ter mais posse de bola, um fator que o técnico covilhanense privilegia e, com esta postura passou a comandar a partida. As jogadas saiam com alguma fluidez e muito assertivas, baralhando por completo a equipa de Paulo Alves. O Gil Vicente na última meia hora da primeira parte nunca mais conseguiu aproximar-se da baliza de Jorge Batista.

O golo do empate surgiu na sequência de uma grande penalidade, assinalada aos 26’, por mão dentro da área de Paulo Arantes, quando Fabrício já se prontificava para atirar para a baliza, mas o Sporting já tinha feito o suficiente para justificar a igualdade.  Tarcisio foi chamado a bater a grande penalidade e não falhou. Estava feito o empate.

Até ao intervalo os leões da serra podiam ter dado a volta ao marcador mas o remate cruzado de Gilberto, aos 41’, que levava o selo de golo, foi superiormente defendido pelo guardião Murta.

Na segunda parte o técnico do Gil Vicente praticamente fez entrar um novo onze. Só deixou no relvado Cláudio, todos os outros foram substituídos. Ao invés e provavelmente porque no próximo sábado começam os jogos oficiais para o Sporting, Filipe Moreira regressou com os mesmos que iniciaram a partida, naturalmente para que a equipa ganhe mais consistência e os necessários automatismos.

Os primeiros minutos do segundo tempo voltaram a ter um Gil Vicente mais afoito, mas pouco organizado, não conseguindo criar qualquer situação de perigo para as redes serranas.  Com as mexidas que Filipe Moreira fez na sua equipa, substituição de Paulico por Pimenta, aos 48, João Rodrigues por Moreira aos 55’ e Milton por Nene aos 60, a equipa voltou a crescer a ficar mais compacta e a assumir o jogo como tão bem gosta. 

O futebol vistoso que o Sporting estava a praticar merecia que o resultado fosse condizente, só que, embora trabalhando bem e tendo feito jogadas de grande qualidade, na baliza do Gil Vicente estava um homem inspiradíssimo, de seu nome: Luciano. O guarda-redes de Barcelos fez três defesas super fantásticas, a primeira a remate em jeito de Fabrício, aos 65’; dois minutos depois, na sequência de um livre frontal, e sobre a linha de grande área, defendeu o remate de Samuel que levava o selo de golo e aos 73’ foi a terceira grande defesa de Luciano, a remate de Moreira, oferecendo o corpo à bola. Pode dizer-se que o Gil Vicente só saiu da Covilhã com um empate graças à inspiração, ou classe, do seu guardião.

Até final do encontro o Sporting da Covilhã ainda voltou a ter ensejo de triunfar na partida, mas a jogada de Moreira, aos 80 culminou com um remate para fora, depois do avançado serrano ter ultrapassado três adversários e ter ficado na cara do golo.

O resultado não traduz o que as duas equipas fizeram na partida mas pelo menos ficou, uma vez mais, patente que o Sporting tem uma equipa equilibrada, com soluções para várias posições e com um fio de jogo que faz inveja a muitas equipas de primeiro plano. Indicadores muito positivos.

A equipa agora vai preparar-se para iniciar a competição oficial, reduzindo as cargas de trabalho que normalmente se aplicam nesta altura da época, de modo a que no próximo sábado, quando receberem o Arouca para a primeira jornada da fase de grupos da Taça da Liga, a equipa possa corresponder ao que dela esperam os sócios e adeptos.

Ficha do Jogo:

Arbitro: Ângelo Correia auxiliado por Duarte Amaro e Hélio Tavares.

Sporting da Covilhã: Jorge Batista (75’ Igor Araújo), Dani Matos (86’ Diogo Gaspar), Edgar (Cap), Ricardo Rocha (75’ Filipe Fernandes), Samuel e Paulico ( 48’ Pimenta); Milton ( 60’ Nené), Gilberto (88’ Adriano), Tarcísio (70’ Carlos Manuel), Fabrício (70’ Sereno) e João Rodrigues ( 55’ Moreira).

Técnico: Filipe Moreira

Gil Vicente; Murta, João Pedro, Cláudio, Pecks e Paulo Arantes; Luis Manuel; Luís Carlos, César Peixoto e Brito; Rafa e Leandro. No reinicio da 2ª parte entraram:  Luciano; Rui Faria ( 75’ Rui Magalhães) Daniel, Pedro Pereira, Tó Barbosa, André Cunha, Pio, Elizeu, Halisson e Ramazotti.

Técnico: Paulo Alves

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados