RCB/TuneIn
Domingo, 27 Mai 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
"DECLARAÇÕES INCENDIÁRIAS"
É como a delegação regional de Castelo Branco do sindicato dos trabalhadores da administração local (STAL) classifica as afirmações do presidente da direcção dos bombeiros voluntários da Covilhã. (ver notícia com o título: BVC: "Presidente Contra o Acordo de Empresa"
Por Paulo Pinheiro em 27 de Jun de 2012

Em comunicado, o STAL refere que o chamado acordo de empresa (AE) "é um instrumento de regulamentação colectiva de trabalho negociado, celebrado e publicado no boletim de trabalho e emprego.. com a sua publicação, ele adquire força superior á própria lei geral".

Quanto aos prémios, os únicos previstos no (AE), constam da cláusula 58ª que diz " A associação humanitária dos BVC poderá instituir prémios por decisão da direcção, nomeadamente em virtude de obtenção de resultados excepcionais, cumprimento de objectivos ou por mérito especial de algum ou alguns trabalhadores, devendo em qualquer dos casos fundamentar a decisão e os critérios de atribuição dos mesmos".

De acordo com o sindicato, o que existe para além da retribuição base, são subsídios decorrentes da forma específica de prestação de trabalho, tais como subsídios de turno ou subsídios de refeição.

Para o STAL, o que o presidente da direcção dos BVC não diz "é que não foram os trabalhadores da AHBV Covilhã que forçaram o Governo a alterar as regras do transporte de doentes, não são os trabalhadores que fazem com que as administrações regionais e outras entidades demorem tanto tempo a pagar os serviços efectuados, nem influenciam o presidente da CMC a reduzir em dois terços o já diminuto apoio da autarquia aos bombeiros".

O sindicato protesta veemente contra as afirmações do presidente da direcção, que classifica de "falsas e incendiárias" e que "em nada contribuem para um processo negocial tendente a resolver os problemas da associação".

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados