RCB/TuneIn
Quarta, 19 Jan 2022
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
LIGA PIORNOS ? 12? JORNADA
Na reviravolta do campeonato o Alcains escorregou em casa, consentindo um empate para o Oleiros. Nesta jornada o destaque vai para a vit?ria que o Vilarregense obteve em Proen?a e para o triunfo que os fundanenses da Desportiva conseguiram perante um advers?rio directo, Pedr?g?o, que luta pelos mesmos objectivos.
Por José Joaquim Ribeiro em 14 de Dec de 2008
No jogo mais importante da jornada a Desportiva do Fundão conseguiu um triunfo muito difícil sobre o Pedrógão de S. Pedro, uma das equipas que melhor futebol pratica neste distrital. Os fundanenses foram mais consistentes e a vitória assenta-lhes bem. Marcou o primeiro golo por Zé Carlos, numa daquelas jogadas individuais que por vezes saem aos bons jogadores. O médio fundanense foi ultrapassando adversários, acreditou que os podia driblar a todos, inclusive o guarda-redes, teve a técnica necessária para o fazer, também uma pontinha de sorte e a conclusão foi mesmo o golo para a ADF, aos 17 minutos. Na segunda parte o Pedrógão entrou melhor, teve duas chances para marcar e à segunda não desperdiçou. Um livre directo, ali bem próximo da área, todos estavam à espera que fosse Caronho a bater a falta, mas foi Horário que, com uma execução perfeita, fez um golo de belo efeito. Como os fundanenses viam neste jogo uma partida decisiva para as suas próprias aspirações, não convinha mesmo nada que perdessem pontos, na condição de visitados, mas, para que isso não acontecesse era necessário fazer algo, tinham que pressionar o Pedrógão na zona onde os golos podem acontecer. Foi o que acabou por acontecer. Aos 72’ João Lisboa é solicitado, correm em direcção à baliza contrária e, apesar da sua juventude, teve o discernimento necessário para marcar o golo que deu a conquista dos três pontos à equipa fundanense.

O líder do campeonato foi surpreendido pela formação comandada por José Ramalho. A equipa do Alcains, que terá pensado que a vitória seria consumada com mauir ou menor dificuldade, realizou uma exibição abaixo das suas capacidades e no final seria mesmo surpreendido por esta equipa de Oleiros, que não tem estado nada regular no campeonato. Aliás, a irregularidade da equipa de Oleiros é que terá levado os jogadores do Alcains a acreditar que a vitória seria alcançada de forma fácil. Ora, como se viu, não se podem fazer juízos de valor, antecipadamente, seja ele qual for o adversário. A equipa de Hugo Andriaça até foi quem abriu o activo, aos 22’, por intermédio de Quinzinho, mas como não matou o jogo, o Oleiros, com duas jogadas rápidas e concluídas por Ludvico, deu a volta ao resultado. O rápido jogador do Oleiros marcou o primeiro aos 48´e o segundo aos 65. Ricardo Costa evitou escândalo maior quando aos 71’ estabeleceu o empate. Bem tentou o Alcains, até final, chegar ao triunfo, mas os caminhos da baliza do Oleiros foram totalmente tapados, com o recuo de todos os homens para a sua zona defensiva.

O Proença volta a ser surpreendido no campeonato. Desta feita a equipa de Quim Manuel deixou que o Vilarregense se impusesse e construísse um resultado que podendo parecer exagerado, acabou, sobretudo, por permitir a conquista dos três pontos. A equipa da casa marcou no último minuto da primeira parte, por Nuno Alves, mas o Vilarregense, logo na abertura da segunda parte conseguiu chegar à igualdade, por Pica. O 1-2 foi da autoria de Alexandrov, aos 72’ e o tento que arrumou com o jogo foi apontado por Topa.

O Águias do Moradal desenvencilhou-se do Valverde, por um resultado que só foi consolidado na recta final da partida. A equipa de Micas jogou cerca de 80 minutos reduzido a 10 unidades, por expulsão de Nuno Martins, aos 13’. Este facto podia ter facilitado a tarefa à equipa de António Belo, no entanto a forma guerreira da equipa do concelho do fundão lá foi adiando o que acabou por ser inevitável, os golos da equipa do Estreito. O primeiro da tarde foi apontado aos 62’, por Pira, poucos minutos depois foi Esteves a fazer o segundo e o terceiro pertenceu a Marco, numa vitória que acabou por ser natural.

Natural foi também o triunfo da equipa de Mário Pereira. O Teixosense tinha a tarefa facilitada, mas, mesmo sabendo das fracas capacidades da Lardosa, não descurou essas facilidades e no final teve o prémio merecido: uma vitória por 4-0 . Com este triunfo os teixosenses ficaram mais próximo dos clubes que lutam pelos quatro primeiros lugares.

O Vitória de Sernache não consegue ser consistente no campeonato, voltou às derrotas, uma realidade muito frequente nesta equipa comandada por António Joaquim. No jogo realizado em Escalos de Cima a equipa de Paulo Macedo não teve muitas oportunidades para marcar, mas teve uma que não desperdiçou, apontada por Chico, quando já se pensava no descanso. Bem tentou o Vitória chegar pelo menos à igualdade, mas os seus intentos não tiveram correspondência com as oportunidades criadas. O empate era certamente o resultado que mais estaria de acordo, mas a vitória também assenta bem à equipa da casa, fundamentalmente por ter sabido construir o golo e por o ter guardado com unhas e dentes.

O Alcains perdeu terreno para o Águias do Moradal, mas continua na liderança, com a tranquilidade que dois pontos de vantagem podem proporcionar. O CDA tem 31 pontos, contra os 29 da equipa do Estreito. Na 3ª e 4ª posição estão agora o Pedrógão, com 20 pontos e AD Fundão com 19, embora os fundanenses tenham, com o mesmo número de pontos o Proença.

No próximo fim de semana quatro jogos se destacam dos restantes: Pedrógão – Águias do Moradal, Sernache – Proença, Vilarregense – Alcains e Oleiros - Fundão.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2022 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados