RCB/TuneIn
Segunda, 09 Dez 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
SCC: EMPATE FELIZ NA MADEIRA
O Sporting da Covilh? termina Janeiro tal como come?ou, a empatar. Recorde-se que no ?nicio do ano, os serranos empataram a zero com o Belenenses, perderam com Moreirense e Estoril em casa, e ontem conseguiram uma igualdade a um golo frente ao Uni?o da Madeira. O tento covilhanense foi apontado pelo central brasileiro ?valos, na pr?pria baliza, aos 14 minutos da 1? parte.
Por Miguel Malaca em 30 de Jan de 2012

"Foi um resultado feliz, o União foi melhor na segunda parte, mas o árbitro também nos prejudicou, exigimos respeito".

Palavras preferidas por Tulipa, no final do jogo realizado ontem de manhã no Funchal, e que espelharam o estado de espírito do treinador serrano, após mais um empate fora. Aceita-se o resultado, apesar de não ter sido um grande jogo de futebol. A primeira parte foi monótona, sem muita qualidade, e com poucas ou nenhumas oportunidades de golo. O União da Madeira, teve mais posse de bola, mas não conseguiu entrar na grande-área covilhanense e incomodar Nuno Santos. Os "leões da serra", mesmo sem deslumbrar, longe disso, jogaram muito concentrados, coesos, e no 1º tempo nunca deixaram que o adversário pudesse criar perigo, conseguiu-o, e aos 14 minutos colocou-se na posição de vencedor ao aproveitar um deslize do central Ávalos, que ao antecipar-se a Dominic, após um pontapé de baliza do guardião serrano, fez um belíssimo chapéu ao próprio guarda-redes. A vencer o SCC, cerrou fileiras, tentou em rápidas transicções criar desiquilibrios na defesa contrária, mas situações de perigo de golo, nem uma para amostra. Primeira parte equilibrada por baixo pelas duas equipas, e com alguma dose de felicidade, a equipa covilhanense ganhava ao intervalo.

Vieram os segundos 45 minutos, e aí, tudo mudou, só deu União da Madeira. O turma orientada por Jakonovic dominou por completo o jogo e o adversário. O Sporting da Covilhã não conseguiu sair praticamente do seu meio-campo. Através de pressing alto, e jogando em velocidade e pelos flancos os jogadores madeirenses quase não deixavam respirar os atletas da Covilhã. A equipa de Tulipa não conseguiu uma oportunidade, digna desse nome, de golo. O SCC não teve arte e engenho, para sair do colete de forças colocado pela equipa do Funchal. O União teve várias situações de poder marcar, mas por azelhice ou por 2 espectaculares defesas de Nuno Santos, o golo não apareceu. Até que Jorge Tavares, aos 85' inventou um penalty. Tozé Marreco ludibriou o árbitro de Aveiro, não houve falta nenhuma do guardião serrano, e Bruno concretizou a grande penalidade. Até final, mais duas excelentes situações de poder marcar, por parte do União, ambas desperdiçadas.

Resultado feliz para o SCC, é verdade, mas o conjunto da cidade 5 estrelas, também tudo fez para merecer essa felicidade(apesar de jogar encolhido e de não ter muitas opções atacantes, faltam reforços, ainda), não merecia aquela "ajuda" arbitral. Jorge Tavares da AF Aveiro, foi de facto o elo mais fraco. Actuação negativa, principalmente no aspecto disciplinar, deixou passar em claro uma expulsão ao defesa Alex, por agressão clara a Fofana, ainda na primeira parte. Ávalos pisou a perna de André Sousa, nem amarelo viu, e em termos técnicos, para além da má decisão de marcar penalty contra o SCC, também "nunca viu" empurrões dos jogadores madeirenses aos adversários, incrível. Actuação muito "inteligente" e nesse aspecto prejudicou claramente o Sporting da Covilhã.

Os serranos ganharam um ponto na Madeira, certo, mas até poderiam ter vindo, curiosamente, com os 3 pontos da vitória na bagagem. Aceita-se no entanto o empate, mas a haver um vencedor, esse, teria de ser forçosamente o União da Madeira.

A equipa covilhanense regressa ao trabalho esta terça-feira à tarde.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados