RCB/TuneIn
Segunda, 18 Dez 2017
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
CULTURA
GRAVURAS RUPESTRES SUBMERSAS HÁ 40 ANOS
Gravuras rupestre do rio Tejo foram descobertas há 40 anos. Foi a 31 de Outubro de 1972 que foi identificado o primeiro núcleo de arte rupestre. O maior complexo pós glaciar de arte rupestre da Europa acabou por ficar submerso, na sua quase totalidade, com a construção da barragem do Fratel na década de 70.
Por Paula Brito em 31 de Oct de 2011

Segundo o professor Jorge Gouveia, trata-se de um complexo com mais de sete mil anos que terá entre 20 a 25 mil gravuras com diferentes temáticas "há antropomórficas, zoomórficas, com motivos na sua maioria geométricos e não figurativos como no paleolítico". 

As gravuras do Tejo são mais recentes que as do Côa "aproximadamente 15 mil anos" mas Jorge Gouveia não duvida que "se as doTejo fossem encontradas na altura em que foram as do Côa, hoje não estariam submersas".

A 31 de Outubro de 1972 foram descobertas as gravuras rupestres do Tejo, no Fratel, considerada uma das mais importantes descobertas arqueológicas feitas em Portugal no século XX. 15 anos depois eram descobertas, mais a norte, as gravuras do Côa que acabariam por impedir a construção da barragem no local e terem um destino diferente das gravuras do Tejo: escondidas pelas águas da barragem há 40 anos.   


  Redes Sociais   Facebook

2007—2017 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados