RCB/TuneIn
Segunda, 22 Abr 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
ESCALOS DE CIMA 0 TEIXOSENSE 2
Num campo tradicionalmente dif?cil, o Teixosense venceu e convenceu. O Escalos at? entrou melhor na partida mas n?o conseguiu criar lances de golo. A turma forasteira que ganhou ascendente a partir dos vinte minutos, criou ent?o sucessivos embara?os aos locais, acabando por inaugurar o marcador perto do intervalo. A boa reac??o local na segunda metade da partida parecia ir alterar o rumo dos acontecimentos, mas tal n?o aconteceu e o Teixosense acabaria mesmo por sentenciar a partida a cinco minutos do final.
Por Jo√£o Perquilhas em 28 de Sep de 2008

Os comandados de Paulo Macedo entraram bem na partida, explorando bem as laterais, mas chegados às imediações da área contrária, a bem organizada defensiva dos pupilos de Mário Pereira, anulava invariavelmente todas as suas acções ofensivas. Quando aos dezoito minutos a primeira situação do golo foi criada pela equipa forasteira, tudo se alterou, isto porque o Escalos tremeu e não mais se recompôs até ao intervalo. Ao invés o Teixosense aumentava a confiança e passava a dominar claramente a partida. O central Jorge viu, aos 18`, um defesa da casa anular o seu remate com selo de golo muito próximo da linha de baliza e três minutos volvidos seria a vez de Falcão desperdiçar, ao surgir em boa posição após jogada de contra ataque. Os da casa não conseguiam reagir à tomada de controlo do jogo por parte do seu adversário, pelo que o sinal mais lhe pertencia por inteiro. Aos 34`, Falcão em centro remate levou a bola à barra da baliza de Bruno Cardoso e oito minutos depois o merecido golo acabou por surgir. Lance de bola parada endossada para a área local, onde o central Luís Afonso cometeu uma evidente grande penalidade sobre Jorge que o árbitro da partida de pronto assinalou. Hélder Morais chamado à conversão não desperdiçou e levou a sua equipa em vantagem para o intervalo.

Para a segunda metade Paulo Macedo alterou o xadrez da sua equipa e esta cresceu, mas o Teixosense, agora em contra ataque, quase fazia o segundo golo. De facto, só o poste travou um cabeceamento de Flávio que apareceu de rompante por entre a defensiva local, após mais uma boa jogada atacante.

Aos 71` o Escalos conseguiu então criar a sua primeira clara oportunidade de golo, quando Carlitos e João Vítor combinaram bem na direita e o cruzamento do segundo apanhou Nelson ao poste mais distante, para este cabecear para a baliza onde um defensor acabaria por substituir o guardião Ferraz em cima da linha de golo. Animados por este lance o inconformismo local apareceu naturalmente e pouco depois seria Carlitos, em jogada individual, a obrigar Ferraz a boa defesa, mas por aqui se ficou a turma da casa.

A dez minutos do final o capitão forasteiro João Bruno levou a bola pela terceira vez aos ferros da baliza de Bruno Cardoso na transformação de um livre directo e pouco depois o seu companheiro Tiago sentenciou a partida ao marcar o dois zero, correspondendo da melhor forma a um pontapé de canto apontado por Flávio.

A vitória do Teixosense é justíssima e a equipa de Escalos de Cima acabou por pagar caro a falta de rotinas de jogo que acabou por revelar.

Boa arbitragem de Márcio Lopes e seus pares. Apenas um motivo de reparo: interrompeu, aqui e além, o jogo demasiadas vezes por faltinhas de somenos importância.

 


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados