RCB/TuneIn
Quarta, 26 Set 2018
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
POLÍTICA
NÚMEROS NÃO COINCIDEM
A assembleia municipal da Covilhã aprovou por maioria o relatório de contas consolidadas da autarquia referentes ao ano passado, mas os valores que a oposição apurou diferem muito dos que a maioria apresenta.
Por Nuno Miguel em 14 de Jul de 2011

A bancada da CDU absteve-se por considerar que "este relatório vem comprovar a débil situação financeira da autarquia covilhanense que tem uma dívida na casa dos 118 milhões de euros". Para Vítor Reis Silva "temos que pensar muito bem qual o rumo a dar ao nosso concelho sob pena de as novas gerações ficarem com o futuro hipotecado por causa des~te modo de gestão".

Apesar de ter votado a favor dos documentos, a bancada do PS também se mostra muito apreensiva com a situação financeira do município que, referem os socialistas, "tem um passivo superior a 135 milhões de euros". Para Carlos Casteleiro "chegou a hora de a autarquia tomar medidas de fundo para ultrapassar o problema, com novas políticas de impostos municipais e novas estratégias que permitam fixar mais empresas e criar mais empregos para que a Covilhã abandone este rumo e entre num caminho mais próspero".

Críticas rejeitadas pelo presidente da câmara da Covilhã. Carlos Pinto refere que "os números apresentados são um embuste porque o passivo da câmara e de todas as empresas municipais ronda os 91 milhões de euros mas o activo líquido supera os 300 milhões; portanto está garantida a nossa sustentabilidade a curto e a médio prazo".


  Redes Sociais   Facebook

2007—2018 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados