RCB/TuneIn
Quarta, 20 Mar 2019
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
DESPORTO
SP. DA COVILH?, SOMA A PRIMEIRA VIT?RIA
O Sporting da Covilh? venceu por quatro bolas a tr?s, o candidato Olhanense. Um jogo absolutamente electrizante com golos, ritmo e muita emo??o.
Por Rui Fazenda em 31 de Aug de 2008

O Olhanense veio à Cidade Neve, com uma postura ofensiva que se revelou logo nos primeiros minutos, conseguindo ganhar ascendente territorial na partida. Por seu lado o Sporting da Covilhã, apresentava-se muito compacto não dando grandes espaços aos Algarvios e criava situações de apuro junto da área adversária. Foi o que aconteceu ao minuto 14, Elivelton ganha posição a um adversário, bem dentro da grande área contrária, sendo travado em falta por Javier. João Capela, o árbitro do encontro, não hesitou e assinalou a marca de grande penalidade. Neste lance o defensor Algarvio viu a cartolina amarela, quando devia ter recebido ordem de expulsão pois era o último defesa do Olhanense. Na transformação do castigo máximo, Paulo Gomes fez o 1-0.

Reagiu a esta adversidade a equipa de Jorge Costa, conseguindo, aos 22 minutos, por Javier desferir um remate de cabeça, na grande área do Sporting, restabelecendo a igualdade no marcador. O jogo estava a ser jogado a um ritmo frenético e o Sporting da Covilhã aos 29 minutos colocou-se novamente em vantagem por intermédio de Elivelton. Foi na sequência de um pontapé de canto que o dianteiro covilhanense atirou para o fundo da baliza de Bruno Veríssimo. Ainda se festejava nas bancadas o segundo golo dos serranos quando Basílio aproveitou uma soberba assistência de Paulo Gomes para se isolar e desviar a bola do guardião Algarvio, fazendo o 3-1 para o Sporting da Covilhã. Decorria, então, o minuto 30.

Ao minuto 40, o Sporting da Covilhã ficava reduzido a 10 unidades. João Capela e seus pares consideraram agressão de Elivelton a Javier e expulsaram o avançado serrano. A jogar com 10, o Covilhã passou por alguns apertos até ao intervalo, mas conseguiu ir para os balneários a ganhar por 3-1.

No reatamento, Jorge Costa lançou na partida Bruno Mestre e Moses para o lugar de Branquinho e Ukra. O Olhanense ficou muito mais ofensivo e ao minuto 50 reduziu para 3-2 por intermédio de Castro que, com um remate seco e colocado bateu Luís Miguel.

Empolgados com este tento os homens de Olhão foram à procura do empate e conseguiram-no à passagem do minuto 57, por intermédio de Djalmir, que respondeu da melhor forma a um cruzamento de Castro.

Quando se pensava que o Covilhã estaria em maus lençóis, pois tinha perdido a vantagem de dois golos e jogava com 10 unidades, eis que os serranos reaparecem no jogo. Ao minuto 57, numa jogada rápida, Javier trava Paulo Gomes na área de rigor. João Capela assinalou grande Penalidade e mostrou a segunda cartolina amarela a Javier. Na transformação Dany permitiu a defesa a Bruno Veríssimo, gorando-se oportunidade flagrante.

Com as duas formações a jogar com 10 elementos cada uma, Hélio Sousa lançou na partida Bruno Nogueira. Este jovem jogador viria a ser decisivo no desfecho da mesma, pois ao minuto 76 ganhou em velocidade à defesa do Olhanense, entrou na área e atirou a contar. Estava feito o 4-3 definitivo. Até ao final o Olhanense ainda tentou igualar novamente a partida mas o Covilhã não o permitiu.

Vitoria merecida do Covilhã, numa excelente partida de Futebol.

João Capela e seus pares ficaram com a arbitragem ferida de morte, ao não expulsar Javier no lance da primeira grande penalidade.

Jorge Costa_ “ Uma equipa que marca 3 golos fora, não pode sofrer quatro e perder um jogo. No entanto, o árbitro ofereceu um golo ao Covilhã e nós oferecemos dois...

” Hélio Sousa_”3 pontos muito saborosos, e importantes para o Covilhã, pois somos novos nesta divisão e queremos atingir os nossos objectivos o mais cedo possível”


  Redes Sociais   Facebook

2007—2019 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados