RCB/TuneIn
Sexta, 14 Ago 2020
PUB
UBI
CIMD Cabecalho
SOCIEDADE
TRABALHADORES QUEIXAM-SE ? IGAL
A assembleia distrital de Castelo Branco ? um dos ?rg?os visados na queixa que a comiss?o de trabalhadores das assembleias distritais(AD) apresentou ? inspec??o geral da administra??o local(IGAL).
Por Paulo Pinheiro em 30 de Aug de 2008

Para além das assembleias distritais de Castelo Branco, Viseu e Vila Real, a comissão apresentou também queixa contra as câmaras municipais do Fundão, Penamacor e Vila de Rei, Almeirim, Alpiarça, Mação Sardoal e Vila Nova da Barquinha, acusando-as de não cumprirem a legislação em vigor. 

 Em relação à AD de Castelo Branco, é contestado o facto de o presidente da mesa ter ordenado o cancelamento do contrato com a EDP para o fornecimento de energia à colónia balnear da Areia Branca, na Lourinhã (desactivada este ano), “apesar de ter conhecimento de que naquelas instalações está a residir uma funcionária e respectivo agregado familiar” explicou, à agência Lusa, Ermelinda Toscano. 

Álvaro Rocha, presidente da mesa da AD de Castelo Branco e presidente da câmara municipal de Idanha-a-Nova, confirmou que o contrato com a funcionária previa o fornecimento gratuito de água e luz, mas a EDP cortou a electricidade, por falta de pagamento. Em declarações à Lusa, o autarca referiu que “ a assembleia distrital não pagou por falta de dinheiro, uma vez que há três autarquias que estão em dívida”, referindo-se às câmaras do Fundão, Penamacor e Vila de Rei.  

Na semana passada, a comissão de trabalhadores das assembleias distritais tinha divulgado o montante que as autarquias devem: Fundão, 55.805 euros ; Penamacor, 22.034 euros e Vila de Rei, 13.006 euros. Na mesma altura, os presidentes das câmaras do Fundão e Penamacor consideraram que as assembleias distritais “ são órgãos que já deviam ter acabado”.


  Redes Sociais   Facebook

2007—2020 © Rádio Cova da Beira

Todos os direitos reservados